segunda-feira, 18 de abril de 2011

Megacólon felino


















O cólon é a parte final do intestino grosso
onde se armazenam as fezes e que intervém tam
bém na absorção de água e na defecação. O esvaziamento do cólon está dependente dos movimentos peristálticos do intestino e quando esta parte do intestino fica paralisada os animais ficam obstipados, ou seja, deixam de defecar. O megacólon é uma dilatação do cólon que ocorre secundariamente à obstipação crónica diminuindo a motilidade intestinal. Esta situação pode ocorrer em gatos de qualquer raça e de qualquer idade mas é mais comum entre os 5 e os 9 anos de idade.

A retenção prolongada de fezes no cólon leva ao aumento da absorção de água da massa fecal provocando o seu endurecimento e impactação dos quais resultam sintomas como:
- Dor e dificuldade em defecar
- Fezes muito duras, com sangue ou muco
- Defecar fora da caixa
- Distensão abdominal
- Diminuição do apetite
- Náusea e vómitos
- Letargia
- Desidratação

As causas da obstipação são muito variadas e incluem:
- Obstrução do intestino por corpo estranho, pêlos, tumores, etc
- Retenção de fezes por recusar usar o areão sujo
- Lesões na coluna
- Diminuição do diâmetro intestinal devido a tumores ou estrituras.
- Desidratação
- Doenças que causem dor ao defecar como abcessos das glândulas perianais
- Problemas ortopédicos como fracturas da bacia ou dos membros posteriores
- Alterações metabólicas como hipertiroidismo ou obesidade
- Medicamentos
- Megacólon idiopático quando não se conseguem determinar as causas da alteração da motilidade

O diagnóstico é baseado no exame clínico do animal, radiografias (com ou sem contraste), ecografia e colonoscopia.
Inicialmente faz-se tratamento médico que passa pela hidratação do gato, remoção das fezes acumuladas no cólon através de clisteres com o animal sedado (não utilizar clisteres de humanos porque são tóxicos para os gatos), alimentação rica em fibras para estimular a motilidade e laxantes. O prognóstico com este tipo de tratamento é muitas vezes reservado pois a longo prazo pode deixar de ser eficaz e há necessidade de ponderar o tratamento cirúrgico.
A cirurgia consiste na remoção do cólon que não está funcional (colectomia) mas o gato mantém o controlo da defecação uma vez que não interfere com o esfíncter anal.

Uma situação de obstipação pode por em risco a vida do seu animal pois pode causar úlceras intestinais graves e até perfuração do intestino por isso se o seu animal apresentar algum dos sintomas deve consultar o médico veterinário.

7 comentários:

  1. Prezados amigos dos animais,

    algum de vocês já submeteu ou (sabe de alguém que tenha submetido) seu bichinho de estimação (cão ou gato) a um exame de colonoscopia?

    Foi indicado para um gatinho que resgatei das ruas, o Joaquim, que está apresentando, há cerca de um ano, fezes com sangue vivo e, há cerca de 2 meses, muita dor ao defecar (ele grita).

    Já foram feitas todas as tentativas e tratamento possíveis, testamos a presença de todos os tipos de parasitas (incluindo giárdia), fizemos todos os exames de sangue (incluindo DNA, pré-cirúrgico I e II), exames de fezes em todas as suas modalidades, ecografias, ultrassom, mas até agora nada foi diagnosticado (nada além de uma nefropatia - que não tem a ver com o problema de sangue nas fezes).

    Ele está fazendo tratamento com corticóide desde que começou a apresentar sinais de dor, mas corticóide, é sabido, funciona como paliativo (nem a gente nem eles podem tomar corticóide para o resto da vida...).

    Estou com medo de autorizar a realização do exame pois é altamente invasivo:

    A preparação é muito difícil, inclui jejum/dieta líquida por 24 horas, uso de laxantes, lavagem intestinal - e tudo isso num gato de rua (e arisco) vai significar stress violento e consequente baixa de imunidade.

    Depois de todo preparo, o exame propriamente dito é feito com o uso de anestesia geral, ou seja: o organismo já debitado pela preparação, ainda terá que enfrentar a anestesia...

    Preciso conversar com algiém que já tenha tido esta experiência, pois estou temerosa: não quero abreviar a vida do gato Joaquim nesse exame, mas ele também não pode seguir tendo dor e apresentando sangramento ao defecar (ele grita muito de dor, pobrezinho).

    Obrigada a quem puder ajudar uma 'mãe' bem aflita,
    Angel
    adoteumbichoderua@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. CONSULTE VETERINÁRIO DE ONG DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS. ELE VAI LHE INDICAR SE ESTA É A MELHOR ALTERNATIVA. BOA SORTE!

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    O meu gatinho tmb gritava de dor ao defecar.
    Experimentei vários medicmentos.
    Qual ração vc dá?
    Mudei para a hipoalergic da royal canin, bato no liquidificador e adiciono água para ficar como uma papinha.
    FOI A SOLUÇÃO.
    Saem fezes menores e sem sangue.
    Espero que dê certo!

    ResponderExcluir
  4. tenho uma gatinha resgatada,foi queimada com acido as 4 patas e quando internei no ultra para ajudar essa bebezinha deu megacolon ,muitas falam da eutanasia sou contra .ela e ativa e faz acunputura , para ajudar vc pode me indicar papinhas algo diferente a ela

    ResponderExcluir
  5. boa noite tenho uma gatinha resgatada,encontrei ea com as patas amarradas e queimdas cm acido, e para ajudar na ultra constou megacolon esta em tratamento com laxante e racao e pates mais ta enjoada como faco ,,,vcs tem alguma dieta

    ResponderExcluir
  6. Jaqueline tb tenho uma gata com megacolon ja fiz de tudo laxante raçoes medicamentos e nada, semanalmentelevo ela p fazer uma lavagem intestinal mas nao resolve é somente para eliminar as fezes... se.souber de alguma coisa p ajudar me fala e eu tb ti aviso ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela foi submetida a cirurgia tiramos 10 cm mais agora após 2 meses da cirurgia parcial está novamente trancadinha visto na ultra

      Excluir