quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Como fazer dieta ao seu cão



Demasiada comida e pouco exercício são a dieta ideal para o seu cão ganhar quilos extras mas há várias coisas que pode fazer para o ajudar a emagrecer.

Como saber se o seu cão tem excesso de peso?
Antes de começar a fazer dieta ao seu cão tem de saber se ele tem mesmo excesso de peso. Pode descobrir isso em casa fazendo estes testes.
- Sentir as costelas e as vértebras: Se for difícil sentir os ossos o cão tem excesso de peso.
- Veja o cão de lado: a barriga não deve estar descaída, é sinal de excesso de peso.
- Veja o cão de cima: vendo-o de cima deve notar uma “linha de cintura” ou seja, ter a zona entre as costelas e as ancas mais estreita que o tórax.

Dicas para perder peso
Experimente estas dicas para ajudar o seu cão a perder os quilos extra e a tornar-se mais saudável:

- Fazer mais exercício: o exercício queima calorias e diminui o apetite. Leve-o para um passeio extra ou comece a atirar-lhe bolas para ele ir buscar. Brinque mais com ele atirando bolas, brinquedos que chiam ou discos para ele se entusiasmar e correr atrás deles. Tente fazer sessões de exercício de 10 a 15 minutos duas vezes por dia.

- Reduza o tamanho das refeições: comida caseira, guloseimas ou mesmo uma dose demasiado grande de ração podem levar ao excesso de peso. Se está a dar refeições demasiado grandes ao seu cão, vá reduzindo a dose diariamente até chegar à dose recomendada por dia (ver a dose recomendada na embalagem para o peso ideal dele). Use uma balança ou um copo de medida próprio da marca de ração que usa para medir a dose que lhe dá.

- Reduza as guloseimas: nem imagina quantas calorias extra está a dar ao seu cão de cada vez que lhe dá uma guloseima, por isso reduzir o número de guloseimas diárias ajuda muito. Comece por reduzir as guloseimas para metade e depois vai reduzindo mais um pouco diariamente. A alternativa é trocar as guloseimas tradicionais por outras menos calóricas como cenoura, feijão-verde ou bolachas de arroz (sem sal) que também lhe dão vitaminas extra.


- Dê-lhe mais refeições por dia: várias refeições pequenas diárias são melhores do que uma grande refeição pois mantém os níveis de açúcar no sangue mais equilibrados ao longo do dia e dessa forma o corpo armazena menos calorias.

- Não deixe a comida à disposição: muitos cães não se sabem autorregular por isso em vez de lhe deixar sempre o prato cheio faça várias refeições a horas marcadas. Passados 15 minutos de lhe colocar comida retire tudo o que ele não tiver comido. A água fresca é que deve estar sempre à disposição.

- Escolha a comida adequada: evite rações “light” de baixa qualidade. Peça um conselho ao seu médico veterinário para escolher a ração que melhor se adequa ao seu cão e a dose diária de comida que lhe deve dar.

- Mantenha-o afastado da cozinha: restos das nossas refeições ou a comida que vai caindo no chão são muito tentadores e contribuem muito para o aumento do peso. Coloque o cão noutra divisão enquanto come e cozinha para que ele não esteja tão interessado na sua comida e não acabe por comer calorias extra.

- Lembre-se da fórmula mágica: tal como para as pessoas a única forma de perder peso é ter uma alimentação regrada e fazer exercício!

Adaptado de: Kara Mayer Robinson

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Como brincar com o seu gato – brincadeira ou agressividade?



Todos os gatinhos e gatos jovens precisam de brincar. A brincadeira é um comportamento normal que permite aos animais desenvolver a sua coordenação motora e as suas aptidões de resolução de problemas. É também uma forma de melhorar as suas capacidades socias com outros gatos. É muito frequente os gatinhos terem brincadeiras mais bruscas, porque todas as brincadeiras nesta idade consistem em simular caçadas ou lutas com outros animais. Os gatos vigiam, perseguem, atacam, dão pontapés, arranham e mordem-se uns aos outros por brincadeira, no entanto as pessoas interpretam este comportamento de forma errada, pensando que estão a ser agressivos, quando é dirigido a elas.

Os gatos têm 2 tipos de comportamento de brincadeira: as brincadeiras solitárias e as brincadeiras sociais. As brincadeiras solitárias são dirigidas a objectos com brinquedos, fitas, sacos, caixas de papelão ou papel enrolado. As brincadeiras sociais são dirigidas aos seus companheiros felinos, pessoas ou outros animais. Infelizmente os problemas podem surgir quando a brincadeira é dirigida a pessoas pois, apesar das boas intenções do gato, ele pode causar danos no seu companheiro humano. As arranhadelas e mordidelas dos gatos podem ser dolorosas e podem provocar feridas em alguns casos.

Problemas de comportamento que deve excluir - Agressividade

Ocasionalmente os gatos podem demonstrar agressividade para com as pessoas. A verdadeira agressividade só costuma ocorrer em gatos que se assustam facilmente ou como reacção por ter sentido o cheiro, ter visto ou ouvido outro gato ou animal desconhecido. Se o seu gato tem menos de 1 ano de idade e não há mais animais com que ele possa brincar em casa, é provável que ele esteja a ter brincadeiras mais bruscas consigo e não a ser realmente agressivo. Muitas vezes não é fácil distinguir entre verdadeira agressividade e brincadeira por isso observar a linguagem corporal do gato pode ajudar. Quando está a brincar o gato geralmente exibe uma “expressão de brincadeira” em que tem a boca entreaberta e dá saltinhos ou abana a parte traseira do corpo com as costas arqueadas para se preparar para a brincadeira. Geralmente as brincadeiras são muito silenciosas, enquanto em interações agressivas geralmente rosnam, bufam e cospem.

Como reduzir as brincadeiras mais bruscas?

- Tenha brinquedos variados para o seu gato para poder perceber as preferências dele. No geral os gatos preferem dar patadas em brinquedos pequenos como ratinhos ou bolas. Também gostam de vigiar, perseguir e caçar coisas que se movem como presas como penas ou bonecos pendurados em brinquedos com elásticos que podemos balançar ou arrastar no chão. 

- Dê objectos novos ao seu gato para investigar como sacos de papel ou caixas de cartão. Pode também esconder alguns brinquedos durante algum tempo e ir alternando para se tornarem novidade.

- Passe pelo menos 10 minutos de manhã e à noite a brincar com o seu gato. Enquanto estiverem a brincar não o encoraje a dar patadas nas suas mãos ou pés, em vez disso, redirija a brincadeira com brinquedos com fios compridos ou atirando os brinquedos favoritos para longe. Tente agendar as sessões de brincadeira para horários em que o seu gato esteja mais activo.

- Se o seu gato gosta de fazer emboscadas ao seus pés quando vai a subir uma escada ou se esconde debaixo dos móveis para lhe atacar os tornozelos quando passa por ele, passe a levar um brinquedo na mão para atirar e lhe redirecionar a atenção. Tente que ele se foque em caçar o brinquedo em vez de o atacar.

- Pondere adoptar outro gatinho para ser o companheiro de brincadeiras do seu actual gato. Se o fizer escolha outro gato jovem e que goste de brincadeira como o seu.

- Arranje uma forma segura para que o seu gato ter acesso à rua, seja fechando a varanda/janelas com rede ou construindo uma estrutura de rede no jardim onde ele possa estar. Se puder coloque-lhe lá caixas e outras estruturas para onde ele possa trepar. Ao proporcionar-lhe a oportunidade de caçar insectos ou folhas e ter um ambiente mais rico, ele tem menos motivação para brincar consigo.

- Faça pausas consistentes na brincadeira quando o seu gato começa a ser demasiado brusco. No momento que ele começar a morder ou arranhar termine a brincadeira saindo da divisão onde ele está. Não tente pegar no gato e coloca-lo noutra divisão porque isto pode provocar mais mordidelas ou arranhões.

O que não fazer!

- Não encoraje o seu gato a brincar com as mãos, pés ou qualquer outra parte do corpo. Pode ser engraçado quando se tem um gatinho bebé mas torna-se doloroso e perigoso quando se trata de um gato adulto.

- Não use brinquedos que ensinem o seu gato a brincar com as mãos como luvas com bonecos. Se usar estes brinquedos está a encorajar o seu gato a dirigir as brincadeiras para as suas mãos e não vai entender que só o pode fazer quando usa as luvas de brincar.

- Não castigue fisicamente o seu gato por ter brincadeiras mais bruscas. Se lhe der uma palmada, ele pode entender o gesto como brincadeira e brincar ainda de forma mais agressiva. Também pode ficar com medo das suas mãos e passar a evitá-lo ou responder de forma verdadeiramente agressiva.

- Nunca fuja do seu gato ou tente bloquear-lhe os movimentos com os pés. Isto pode levar a brincadeiras mais intensas ou a reacções agressivas por parte dele.

Mais umas dicas…
Se o seu gato insistir em dirigir todas as suas brincadeiras para si apesar de fazer todos os esforços para o ensinar a brincar com brinquedos, pode usar um borrifo de água para interromper as brincadeiras mais agressivas. Tem de andar com um borrifador perto sempre que houver possibilidade de ele lhe fazer uma emboscada pois tem de usá-lo sempre mal ele comece a correr na sua direcção. Assim que ele parar atire um brinquedo para que ele o possa dirigir a sua brincadeira para o alvo adequado.  Leve pequenas bolas de papel no bolso para atirar para que ele as persiga em vez de perseguir o dono.
Apesar de ser necessário algum tempo e esforço, se for consistente e paciente, pode ensinar o seu gato a dirigir as suas brincadeiras para os alvos adequados em vez de para si. Se precisar de ajuda não hesite em contactar um médico veterinário.


Adaptado de: WebMD Veterinary Reference from the ASPCA

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

O que fazer quando o gato urina ou defeca fora da caixa?



Se o seu gato urina ou defeca em todo o lado menos na caixa de areia está de certeza a deixá-lo com os cabelos em pé. Apesar de esta situação poder parecer o fim do mundo não tem de ser. Há formas de remediar a situação para que o gato fique em casa e o comportamento desapareça.

Salve o seu gato
As estatísticas dizem-nos que, só nos Estados Unidos, cerca de 72% dos gatos, que são entregues em canis ou associações, são eutanasiados e o principal motivo da entrega de gatos em canis é o facto de urinarem ou defecarem em locais inadequados.
“ Um dos fatores por trás deste problema é o facto de 66% dos donos acharem que os gatos o fazem para se vingar, o que não podia estar mais longe da verdade” diz Ilona Rodam, médica veterinária especialista de medicina felina. Em vez disso, Esta situação acontece porque as necessidades físicas, sociais ou médicas do gato não estão a ser satisfeitas.

Fale com o seu médico veterinário
O primeiro passo para resolver o problema é marcar uma consulta para levar o seu gato à clínica veterinária assim que detete o problema. A Drª Rodam, que geralmente avalia primeiro o comportamento do gato, nota que a maioria dos gatos tem também um problema médico: “Os donos pensam, por exemplo, que o gato está a urinar fora da caixa devido à introdução de um novo gato mas os exames podem revelar que tem pedras na bexiga ou parasitas intestinais.”
Alguns gatos podem desenvolver obstruções urinárias que colocam a sua vida em risco porque os donos interpretam o seu comportamento como sendo apenas uma encenação. Por causa destas situações é que é essencial ter um diagnóstico e um plano de tratamento o mais rápido possível.
Se não houver motivo médico para a situação, então recomenda-se uma consulta de comportamento para perceber o que faz com que o gato não use a sua caixa de areia.

Marcação: sexual ou reacionária?
Antes de mais convém esclarecer a diferença entre urinar e fazer marcação. Quando fazem marcação, os gatos tendem a manter-se de pé e deitar um pouco de urina contra superfícies verticais. Quando urinam, geralmente os gatos raspam o chão e eliminam grandes quantidades de urina em superfícies horizontais. A marcação pode ser sexual ou reacionária.

  • Marcação sexual: O seu gato está esterilizado/castrado? Tanto os machos como as fêmeas podem exibir marcação sexual para marcar a sua presença e disponibilidade. A esterilização ou castração diminui drasticamente o comportamento de marcação sexual.

  •  Marcação reacionária: Caso o seu gato seja esterilizado/castrado este tipo de marcação deve ser considerado. A introdução de outro animal, pessoa, mobília ou outros objetos em casa pode alterar o odor geral a que o seu gato está habituado e deixá-lo suficientemente stressado para induzir marcação com urina. Malas, mochilas e sapatos apanham novos cheiros cada vez que saem de casa por isso, pode ser boa ideia mantê-los fora do alcance dos gatos. Equipamentos que sofrem mudanças de temperatura como torradeiras, fornos e outros equipamentos eletrónicos também são alvo frequentes da marcação.


Comportamentos de marcação que se iniciam contra portas e janelas indicam que o animal se sente ameaçado por algo que vem de fora de casa. Nestes casos, aconselha-se bloquear a vista das portas e janelas, caso se suspeite que a marcação é desencadeada por animais que se veem no exterior. Certifique-se que a zona de descanso, a água e comida do seu gato está longe das janelas e portas de vidro. 
Se a marcação se inicia em quartos interiores da casa, escadas e portas internas é indicativo de que, o fator de desencadeador do stress, vem de dentro de casa. Os gatos podem responder à presença de um novo animal ou pessoa com marcação de urina, colocando-se na posição de marcação vertical, podendo ou não urinar. 
A Drª Rodam relembra que “O gato pode parecer que está na posição de marcação de território quando no fundo não consegue é urinar devido a um problema médico. As pedras na bexiga, o stress ou outros problemas podem estar por trás disto e tem de ser descartadas todas as hipóteses”. 

Mantenha-se positivo 
É importante perceber que punir o gato física ou verbalmente durante ou após a marcação de território provoca stress e faz com que o gato tenha mais motivos para urinar e escolha locais mais escondidos. Devemos focar-nos em modificar o comportamento de forma positiva recompensando sempre que o gato tem comportamentos que queremos com mimos, atenção, guloseimas ou o que o gato mais gostar.

 Limpe frequentemente 
Os gatos têm tendência a marcar os mesmos locais repetidamente. O odor da urina muda com o tempo e a marcação constante mantém o odor consistente. Daí ser muito importante limpar as zonas marcadas com urina frequentemente. 
O mais eficaz é esfregar a zona com um detergente enzimático para a roupa diluído a 10% em água e deixar secar. Depois borrifar a zona com álcool isopropílico (pode encontrar-se em drogarias). 
Produtos à base de lixívia são eficazes a remover os odores de superfícies de cimento ou vinil. Devem evitar-se sempre detergentes à base de amoníaco que para o gato cheiram a urina.

Experimente feromonas 
Segundo alguns estudos, o uso de feromonas sintéticas no ambiente (sprays ou difusores) pode reduzir em até 90% o comportamento de marcação. O efeito em alguns casos mantém-se após parar a aplicação das feromonas. 
O difusor de feromonas colocado perto da caixa de areia pode torná-la mais atrativa.
  
Trabalhar em conjunto para o melhor desfecho 
Seja qual for a causa deve trabalhar em conjunto com o seu gato e o seu médico veterinário para resolver a situação. A recompensa de manter o seu gato saudável e feliz faz com que valha sempre a pena.


Adaptado de http://www.aaha.org